Coritiba se segura, e vence o Cianorte por 2×3 no Albino Turbay.

Logo no início da partida, o Cianorte, demonstrou interesse no jogo, logo nos primeiros minutos, mas quem abriu o placar foi o Coxa, após cobrança de falta de Patrick Vieira, a bola sobrou para William Matheus mandar para o gol e marcar 0x1. Um banho de água fria no time do Cianorte que não esboçou muita reação no decorrer da partida. Três minutos depois, foi a vez de Gabriel marcar, após receber a bola de Thiago Lopes e mandar para o gol.

O Coxa seguida confiante, e quase viu o placar ser ampliado com Robson, que encobriu o goleiro mas a bola acabou parando no travessão. O gol não foi problema para a dupla de laterais, que fazia um bom jogo até então. Patrick Vieira, após cobrança de escanteio viu William Matheus marcar o terceiro gol. O primeiro tempo do Coxa foi pra deixar qualquer torcedor feliz, com jogadores criticados nas partidas anteriores, marcando gols e dando assistências importantes para a definição do placar até então. Deu até pra iludir um pouco, o problema é que veio o segundo tempo. O Coritiba poderia tirar o pé, o problema é que tirou de mais. O Cianorte foi atrás do prejuízo e abriu o placar logo no início, Pelezinho, livre, mandou uma bola de fora da área, sem chances para o goleiro Muralha. O Coritiba parece ter sentindo o gol, mesmo assim, não buscou ser ofensivo o que deixou a equipe do Leão pressionando ainda mais.
Após os 15 minutos de jogo, o ritmo caiu e o técnico Barroca decidiu fazer suas alterações. Sassá estava apreensivo na beira do gramado, parecendo insatisfeito com o banco. As mudanças foram: Sassá, Wanderley logo depois, Wellissol. As mudança não surtiu muito efeito e o time viu o Cianorte diminuir o placar. Novamente Pelezinho, sozinho, mandou a bola pro gol mas parou em uma boa defesa do Muralha, porém a bola acabou sobrando e a zaga do Coritiba ficou perdida e não conseguiu parar França, que mandou pro gol fazendo 2×3. Apesar do susto (ou alguns sustos), o Coritiba segurou o placar. Sassá, no final, carregou a bola e quase marcou o quarto do Coxa. Houve também um lance do Cianorte, que reclamou bastante sobre uma não marcação de pênalti, segue o jogo.

Ao término da partida, ficou uma sensação de alívio, por não ter tomado o empate, mas também a sensação de frustação, pois vimos um time que poderia ter goleado no primeiro tempo, e outro que tomou sufoco no segundo.

Para próxima partida, o Coxa não poderá contar com alguns jogadores; Nathan Silva, Rhodolfo, Thiago Lopes e Igor Jesus. Pode ser uma estratégia para uma possível final, pois, os jogadores irão zerados para às partidas decisivas. Poupado, Rafinha volta a ser titular na vaga de Thiago Lopes, Matheus Galdezani deve ser recuado, ficando como primeiro volante. Para a vaga de Igor Jesus, Barroca tem as opções como Sassá e Wanderley. Com um campeonato espremido, Barroca terá dois dias para montar o time. Independente das escolhas e de ter o placar a sua favor, sabemos que precisamos de um time que mantenha a regularidade nos dois tempos e uma zaga mais atenta. O Cianorte se classificou contra o Operário indo pra cima do adversário, por isso não podemos dar bobeira para assim, seguirmos para a final.
O jogo de volta será na quarta-feira, 29,no Couto Pereira.

ense, jogo

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.