Luiz Neto

Gritar gol é bom demais

Foram mais de 120 dias de espera. Quatro meses imagináveis para qualquer amante do futebol, ou no meu caso, do Coritiba.

Durante o período da quarentena, tivemos que nos readaptar à vida como conhecemos, afinal, tudo mudou. Nada de bares, restaurantes ou qualquer atividade que envolvesse pessoas juntas. O futebol foi junto, tivemos que nos reinventar. No meu caso, a melhor opção foi o videogame, confesso que tentei voltar a gostar de FIFA. Mas não rolou, eu mais me irritava do que me divertia. A solução foi encontrada em Call Of Dutty/Warzone, onde eu e vários amigos nos encontramos diariamente, para dar uns tiros e também levar, aliás, mais levar do que dar.

Mesmo com uma diversão diária garantida, ainda faltava algo, faltava o Coxa. Por mais que os grupos de whatsapp e facebook continuassem com um pouco de conteúdo, sem os jogos, não tinha a mesma graça. Aqui na Rede Coxa não foi diferente. Simplesmente não rolava aquela vontade de produzir material, afinal, não existiam notícias frescas. Finalmente isso acabou.

Se você me perguntar se eu sou a favor da volta do futebol: vou falar que sou contra, pois o risco do Covid ainda é alto, mas que eu curti muito ver o meu time jogar, eu curti. Como é bom ver o nosso verdão em campo, como é bom gritar gol. Comemorar o gol, aliás, foi uma sensação totalmente diferente, eu não lembrava mais como era bom, confesso que fiquei surpreso com a minha reação totalmente espontânea, instintiva. Gritar gol, mesmo que sozinho no sofá de casa, é algo incrível que só os fãs de futebol podem sentir, mas com esse hiato que passamos, foi ainda melhor.

Ainda sou contra a volta do futebol. Deveriam ter dado o título para o campeão do primeiro turno e fim de papo, mas já que voltou, vamos aproveitar ao máximo, como der, pois gritar gol é bom demais!