Notícias

Entrevista coletiva de Rodrigo Pastana

Hoje (14/08) o Coritiba publicou em seu canal no Youtube uma entrevista coletiva feita remotamente com o diretor de futebol Rodrigo Pastana com a imprensa. Vamos aqui resumir os principais pontos que foram falados:

– Mudança de comando técnico: Não é considerada neste momento, tem confiança no Barroca e no departamento de futebol, apesar do início sem pontuar nas duas primeiras rodadas

– Rótulo de ser dirigente bom em Série B: Não se preocupa com isso, e entende que o principal é pensar no momento, no Coritiba agora.

– Camisa 10: Entende que o clube tem opções para jogar no meio, e tem opções para jogar nessa posição como Giovanni Augusto e Giovanni que estão se recuperando, Yan Sasse, Gabriel e Thiago Lopes que podem jogar nessa função, e entende que não precisa procurar alguém neste momento, e sente que as lesões atrapalharam

– Fôlego financeiro para reforços: O problema de caixa depende muito também do departamento de marketing e a pandemia mudou muito a realidade do futebol. Citou a Caixa, que saiu dos clubes. Entende que a situação financeira pode dar boas condições de trabalho e assim é possível que o elenco pode render melhor

– Briga no Brasileiro: acha que o Coritiba pode brigar por alguma competição sul-americana

– Barroca e elenco: O elenco tem peças para atuar da maneira ofensiva que o Barroca pensa, mas infelizmente perderam peças importantes como Rafinha, Thiago Lopes, e não conseguiram recuperar a altura. Estão no mercado, e que não é fácil pela situação financeira, citou novamente o departamento de marketing como maneira de conseguir novas receitas.

– Orçamento: Clube não tem orçamento no momento, que é limitado para o clube conseguir pagar sua folha mensal.

– Sassá: Nenhum jogador é contratado para ser titular, eles conseguem isso no dia-a-dia. Esperam que ele venha honrar o investimento e a expectativa nele.

– Renovações de Wanderley e Rafael Lima: elenco e comissão técnica pediram, são grandes líderes e foram convecidos que era certo

– René Jr: o problema não é de lesão, é opção do técnico

– Giovanni Augusto: Veio fora do peso, emagreceu e voltou jogando muito bem, se lesionou em um trabalho de finalização, mas foram contratações avaliadas e centradas da melhor maneira possível

– Montagem de elenco: Foram avaliações com jogadores que já disputaram série A e uma base do ano passado. Jadson foi avaliado pelo clube, e sua situação, informações, tudo foi avaliado e por isso não foi contratado, todos negaram.

– Contratações: São feitas por um colegiado, presidência, departamento de futebol, diretor de futebol.

Você pode conferir a entrevista na íntegra no vídeo abaixo:

Tags

Comentários

  • Eduardo Requião Lopes dos Santos tenho 43 anos 43 anos 43 anos

    Estamos voltando da Série B, estão esperamos fazer uma boa campanha para que a gente possa permanecer, primeiramente, na Série A, que a gente sabe que quando um clube volta o primeiro objetivo é se manter.

    E quem sabe a gente possa conseguir uma vaga na Sul-Americana ou até mesmo brigar pela Libertadores”, disse Rafinha.

    Estamos voltando da Série B, estão esperamos fazer uma boa campanha para que a gente possa permanecer, primeiramente, na Série A, que a gente sabe que quando um clube volta o primeiro objetivo é se manter.

    E quem sabe a gente possa conseguir uma vaga na Sul-Americana ou até mesmo brigar pela Libertadores”, disse Rafinha.

    Sou aluno especíais Eduardo Requião Lopes dos Santos tenho 43 anos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: